QUANDO E O QUE O BEBÊ DEVE COMEÇAR A COMER

QUANDO E O QUE O BEBÊ DEVE COMEÇAR A COMER

HORA DE AMPLIAR O CARDÁPIO

Para os bebês com aleitamento exclusivo, após o sexto mês de vida, inicia-se a introdução de novos alimentos*. Com esses alimentos, além de fornecer a seu filho todos os nutrientes de que ele precisa, você tem a oportunidade de começar a educá-lo para adquirir hábitos alimentares saudáveis. Esse período é muito importante e merece toda atenção.

 

PRIMEIRO PASSO: OS SUCOS DE FRUTAS

Inicia-se a introdução de suco de frutas. Um suco de fruta deve ser oferecido no período da manhã, entre a primeira e a segunda mamada.

Qualquer fruta pode ser utilizada, desde que a criança a aceite e não apresente intolerância ou reações alérgicas. Não há necessidade de adoçá-las, uma vez que as frutas contêm o açúcar natural e já são bem docinhas. Além disso, é importante que a criança reconheça o gosto natural dos alimentos. Inicie com pequenas quantidades (cerca de 10 ml) na colher e vá aumentando, conforme a aceitação da criança, até 120 ml, na xícara ou no copo.

Nunca dê, no mesmo dia, sucos diferentes. O certo é oferecer um de uma única fruta. Se o bebê aprovar e não tiver nenhum problema de alergia ou intestino, você pode, no terceiro dia, tentar outro tipo de fruta. Nessa fase, o que vale é experimentar todas as frutas.

Depois que o bebê conhecer o sabor de várias frutas, você pode misturá-las. Suco de laranja com mamão; laranja com goiaba, com maçã, etc.

 

SEGUNDO PASSO: AS PAPINHAS DE FRUTAS

Duas semanas depois, você já pode oferecer a fruta em forma de papinha, amassada ou passada na peneira. É importante certificar-se de que não haja pedaços grandes com os quais o bebê possa se engasgar. As papinhas de frutas devem ser oferecidas nos intervalos das mamadas, como um lanchinho.

Procure oferecer frutas em temperatura ambientem, afinal, a criança está acostumada ao leite morno e não gelado.

 

TERCEIRO PASSO: AS PAPINHAS SALGADAS

Por volta de um mês depois de introduzir as frutas, é hora de apresentar a seu filho as papinhas salgadas. E essas já podem substituir uma refeição. Você pode colocá-las no lugar da mamada mais próxima ao almoço ou jantar.

Desde o início, preocupe-se em fazer uma refeição balanceada. No preparo da papinha inclua sempre um carboidrato (arroz, massa ou tubérculos), uma fonte de proteína (carne de frango, peixe ou carne de boi magra) e legumes e vegetais (fontes de vitaminas e sais minerais).

Nas primeiras semanas, passe a papinha numa peneira antes de dá-la à criança. Depois, é suficiente amassar bem com o garfo. Esse procedimento é importante para que a criança aprenda a diferenciar as texturas dos alimentos.

Depois que a criança tiver se acostumado às papinhas, por volta do oitavo mês, você já poderá oferecê-la nas duas principais refeições do dia – almoço e jantar. Aí, é só usar a imaginação para bolar papinhas cada vez mais variadas e gostosas. Seu filho vai se fartar.

Por volta dos 8 meses, o esquema alimentar da criança deve estar assim: leite materno de manhã, suco de fruta no lanche matinal, papa salgada no almoço, leite materno e papa de fruta no lanche da tarde, papa salgada no jantar e leite materno à noite, antes de dormir.

Vá aumentando gradativamente a consistência dos alimentos, de acordo com a aceitação do bebê. Os alimentos em pedaços maiores preparam o bebê para o cardápio da família e também estimulam os movimentos e músculos que serão usados no processo da fala.

A consistência de papa (e não de sopa) é fundamental. Sopas acabam sendo muito ralas e enchem o estômago do bebê sem fornecer as calorias necessárias. Por isso, a papa não deve ser líquida nem batida no liquidificador.

 

Observações:

  • Não é preciso adoçar o suco
  • *As frutas têm frutose, que é um açúcar natural. Apenas as frutas mais ácidas, como limão e maracujá, devem ser adoçadas e, mesmo assim, com pouca quantidade de açúcar. Ao contrário dos sucos, a papinha doce pode substituir uma mamada.*
  • O ideal é dar preferência às frutas ricas em vitamina C. Para preparar os sucos, você deve lançar mão de outras frutas para elaborar a papinha. Neste caso vale tudo: banana, maçã, mamão, etc.
  • O melhor é oferecer a mesma fruta por dois dias e observar possíveis alterações, como intestino preso ou solto demais e erupções na pele.
  • As frutas devem ser raspadas com a colher ou amassadas com o garfo.
  • *Mas se a criança apresentar muita dificuldade para mastigar e engolir, você pode passar as frutas em uma peneira não muito fina. Depois, com o passar dos dias, vá deixando a papinha cada vez mais sólida.*
  • A quantidade deve ser gradativa. Comece sempre com uma colher rasa das de sobremesa e vá aumentando até chegar a uma fruta inteira. No caso de frutas como morango e uva, comece com duas unidades e vá aumentando até chegar em dez unidades.
  • Você pode também misturar as frutas. O melhor é oferecer apenas um tipo, para a criança poder conhecer e identificar os diversos sabores. Mas quando a criança está com o intestino preso, por exemplo, uma boa alternativa é misturar ameixa preta cozida com mamão, abacate ou morango.
  • A mamadeira ou a mamada só será substituída quando a criança comer uma fruta inteira. No entanto, algumas crianças não deixam o leite de lado. Por isso, meia hora após ter dado a papinha de frutas, se perceber que a criança está irritada ou chorando de fome, ofereça o leite. Se ela não aceitar, é sinal que está satisfeita e, assim, o choro ou a irritação serão por outro motivo.

 

Dicas interessantes para as primeiras tentativas:

  • Um dos reflexos mais comuns do bebê é empurrar com a língua os alimentos para fora da boca. Por isso, com certeza, seu filho irá cuspir as primeiras colheradas. Isso não quer dizer que ele não queira comer.
  • *A melhor maneira de driblar esse problema é oferecer os alimentos colocando a colher nos cantos da boca, em pequenas quantidades.*
  • Ofereça a papinha de frutas na hora em que o bebê estiver acostumado a mamar. Um bom horário é a mamada do meio da tarde, assim, você não corre o risco de ele rejeitar a fruta por estar satisfeito.
  • O importante é variar e aproveitar as frutas da época. Morango, cereja e figo, por exemplo, não dão o ano todo.
  • Não caia na tentação de adoçar a papinha de frutas. Faça isso só quando a criança rejeitar várias vezes a fruta. Mesmo assim, o açúcar deve ser em pequena quantidade.
  • Sempre ofereça água depois da papinha de frutas. Algumas, como a de banana, de abacate e de mamão podem dar sede. Algumas frutas soltam mais o intestino do que outras. Mas vale lembrar que cada organismo pode reagir de uma maneira. Assim, não se espante se o mamão – apesar de ser considerado uma fruta “laxante”, por exemplo, prender ou não modificar em nada o intestino do seu bebê.
COMENTÁRIOS

  1. Angela Reply

    É importante ressaltar que o morango e tomate não podem ser dados antes de 1 ano e 3 meses. Melhor evitar por conter muito agrotóxico conforme orientação da pediatra.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os campos marcados com * são obrigatórios.